Vantagens e desvantagens de comprar o vestido de noiva fora do Brasil

julho 7th, 2012

Decoração, lugar da festa, bufê, hotéis para os convidados, lua de mel. Poucos meses antes da festa de casamento que está planejando há um ano e meio, a psicóloga e gerente de recursos humanos Ana Carolina Oliveira já sabe quase tudo sobre o seu grande dia. Menos como e quando seu vestido de noiva chegará ao Brasil.

Com um ano de antecedência, Ana Carolina foi aos Estados Unidos para encontrar um vestido de noiva perfeito para realizar seu sonho. Além de atender a todas as suas expectativas e desejos, o modelo deveria caber no seu orçamento. Sem agendar horário em qualquer loja, mas com mais de dez indicações de amigas que já tinham ou conheciam alguém que tinha comprado um vestido em Nova York, desembarcou na cidade com a missão de encontrar o seu. Foi a apenas três lojas até escolher um modelo.

Experimentou, se apaixonou e pagou 70% do valor como sinal. Como não pôde trazer o vestido porque ia precisar de alguns ajustes e o véu seria feito sob medida, mandou entregar na casa de uma amiga que depois traria a peça para o Brasil. Porém, sem caixa e com uma armação metálica que até então ela não sabia que existia, não foi possível dobrar o traje e colocá-lo na mala. Resultado: a amiga embarcou, mas o vestido não. “Quando fui comprar o vestido em Nova York, pensei na economia em primeiro lugar. E calculei que mesmo com as taxas que poderia ter que pagar ao chegar aqui, sairia mais barato”, diz Ana Carolina. “Nem pensei na dificuldade que seria para trazer de lá pra cá”, completa.

Em busca do vestido do tamanho dos sonhos e do bolso, as mulheres estão cruzando continentes, real ou virtualmente. E a diferença de preços está entre os fatores que mais contribuem para essa tendência. Para alugar um modelo pela primeira vez, o conhecido “primeiro aluguel”, as noivas por aqui têm que gastar a sola do sapato para pagar menos de R$ 1 mil. E esse valor pode, facilmente, chegar à casa dos R$ 4 mil, dependendo do modelo escolhido e se ele é ou não feito sob medida para a primeira noiva usar.

A ideia de comprar no exterior, então, torna-se atraente. Mas, sem alguns cuidados, pode ficar mais cara. Além dos riscos de transporte, alguns valores extras podem acabar pesando na conta final. As regras para importação de um vestido de noiva são as mesmas de qualquer outro produto trazido do exterior. Basicamente, se o valor total de bens adquiridos fora do país ultrapassar o limite de US$ 500, é preciso declarar as compras na chegada e pagar os impostos devidos por isso. Quem diz não ter “nada a declarar” e é flagrado pela fiscalização, paga uma multa de 50% do valor dos bens que excederem o limite da cota de isenção.

Para mercadorias compradas no exterior, mas entregues no Brasil pelos Correios, a tributação é de 60% sobre o total da importação, ou seja, sobre o valor do produto, mais o frete e seguro, se houver. O pagamento da importação é efetuado diretamente entre o exportador e o importador, no pré ou pós-recebimento da remessa, de acordo com o estabelecido entre as partes. O importador será informado quando a mercadoria chegar à alfândega para efetuar o pagamento via depósito bancário. “Para cobertura das demais despesas, como fretes nacionais, taxas e outros gastos que não sejam impostos, pode-se acrescer de 15% a 20% do total da tributação e o prazo de liberação dependerá da rápida apresentação dos documentos, pagamento dos tributos e cumprimento de exigências legais”, afirma Heitor Longato, assessor da diretoria da Federação Nacional dos Despachantes Aduaneiros, Feaduaneiros. “Digamos que estaria dentro de uma média de 3 a 10 dias.”

A advogada Paula Haddad Rezende se perdeu nas contas e foi pega de surpresa a uma semana do casamento. Desde quando marcou o dia do enlace, ela sabia que gostaria de entrar na igreja com um vestido Vera Wang. Nem chegou a procurar um modelo da estilista no Brasil e, vendo odas as amigas que estavam prestes a subir ao altar indo para Nova York, decidiu embarcar também.

Mesmo sem horário, seguiu direto para a Bergdorf Goodman. No sétimo piso da loja de departamentos, inteiramente dedicado às noivas, se apaixonou por um Valentino. Mas mesmo em Nova York, pesquisar nas outras lojas pode significar economia. Três dias depois, a advogada encontrou na Saks o mesmo modelo, mas na versão baby, um pouco mais simples, por US$ 8 mil a menos. “Somando os valores da viagem para Nova York, a estadia, o vestido e mais uma ida para buscar, com certeza, ficou mais barato do que comprar um vestido semelhante no Brasil”, diz Paula. “Além disso, aqui a quantidade de modelos que encontramos dessas grandes marcas é limitada”, completa.

Paula deixou o vestido para os ajustes e planejava buscá-lo pouco antes do casamento. Mas ela ficou grávida e por recomendação médica não pôde viajar. Pediu para a loja enviar o vestido para o Brasil. Faltavam apenas 17 dias para a festa quando descobriu que seu Valentino estava retido na Receita Federal. Na ocasião, ela precisaria de 15 dias para liberar a encomenda e teria de pagar mais alguns milhares de reais para liberar a mercadoria. Prestes a entrar na igreja e ainda sem vestido, ela recomeçou do zero. Encomendou um novo vestido que foi feito em uma semana por uma antiga costureira da família. Apesar da decepção, a advogada não se arrepende. “Hoje, a única coisa que eu faria diferente é não pedir para mandar pelo correio. Fora isso, com certeza compraria o vestido de novo fora do país”, conta.

Um pacote de viagem com passagem aérea e quatro noites de hospedagem em Nova York custa por volta de US$ 1.300. Na Kleinfeld, uma das maiores lojas de noivas dos Estados Unidos, os preços começam em US$ 2.000, mas a maioria está na casa dos US$ 3.500. No total, um vestido importado, com ajustes feitos especialmente para a noiva (US$ 695, na Kleinfeld), a viagem, a estadia e o frete (a Kleinfeld cobra US$ 250 para enviar), o vestido custaria US$ 5.745 (sem incluir impostos). Um vestido Vera Wang ou Monique Lhuillier pode custar, inicialmente, R$ 15 mil no Brasil. Já um modelo feito sob medida por uma estilista brasileira renomada, a partir de R$ 17 mil.

Mas para que tudo saia dentro do previsto, é bom começar a planejar com antecedência. “Sugerimos comprar nove meses antes do casamento, mas podemos atender noivas que compram até 4 a 6 meses antes. Nesses casos, limitamos a certos estilistas, porque não são todos que podem fazer tão rapidamente”, diz Jennette Kruszka, diretora de marketing da Kleinfeld. Para quem não quer esperar, ou quer economizar, a loja tem uma ponta de estoque com vestidos com 70% de desconto para levar na hora.

Mas lembre-se, o casamento é uma data para você ser a mulher mais bonita e feliz. E se para isso for preciso viajar o mundo para comprar parte desse sonho, planeje, faça as contas, encha a mala de coragem e embarque nessa jornada.

O vestido pela internet

Com preços imbatíveis e a oferta de cópias de estilistas famosos, a compra on-line de vestidos está crescendo, principalmente em sites da China. A estudante Renata Roque pagou US$ 170 por um vestido de organza e cetim, com anágua e uma tiara de strass. “O aluguel mais barato de um vestido que encontrei custava R$ 650, um novo sairia por R$ 2 mil”, lembra. Durante 15 dias, ela trocou e-mails com o vendedor, pediu fotos, inclusive dos detalhes, tirou as medidas seguindo as instruções do site e fechou o negócio. Cinco dias após o pagamento, o vestido já tinha sido postado. Quando a estudante foi retirar o pacote no correio, se desmanchou em lágrimas. “Era só um envelope de papel pardo. Fui chorando até em casa e não consegui nem abrir a embalagem de desespero”, lembra. Mas para a felicidade da noiva, o vestido foi embalado a vácuo.
E, assim que saiu do envelope, ganhou forma. “Parecia que tinha sido feito no meu corpo”, conta. “A tonalidade do tecido era diferente do original, mas ficou perfeito”, diz. Para evitar surpresas, Ella Ma, supervisora de vendas do site chinês DHGate, alerta: “primeiro, a noiva deve dar ao vendedor as medidas exatas, a cor e qualquer outra solicitação especial que tenha. Depois, pode pedir para o vendedor enviar fotos assim que o vestido estiver pronto”. E não se esqueça: normalmente, quanto maior a barganha, maior o risco.

Fonte: Revista Caras

Leave a Reply