Seis sinais para evitar casar-se com a pessoa errada

novembro 24th, 2011

Muito se tem escrito sobre os cuidados ao escolher a pessoa certa. Também muitas dicas são dadas para não se casar com a pessoa errada. O pior é que ninguém as segue (ou quase ninguém). A grande maioria (ou quase a totalidade) escolhe seguir apenas o coração.

Então, por que escrever ou selecionar as melhores dicas que conselheiros matrimoniais e estudiosos do comportamento têm estudado, observado e repassado aos que estão prestes a tomar uma das decisões mais importantes da vida, se (é quase certo) ninguém vai segui-las?

A resposta a essa importantíssima pergunta eu tentarei apresentar no final desse artigo (assim leia toda a matéria e reflita!).

Vejamos, então, alguns sinais de alerta que podemos observar antes de pronunciar aquele importante “sim”.

1 – Você escolhe a pessoa errada quando espera que ele/ela mude depois do casamento

Evite o erro clássico, escutando esse precioso conselho: Nunca se case com um potencial. A regra de ouro é: Se você não pode ser feliz com a pessoa como ela é agora, não se case com ela. Como alguém disse muito sabiamente: “Na verdade, pode-se esperar que alguém mude depois de casado… para pior!”

Portanto, quando se trata da espiritualidade, de caráter, de higiene pessoal, de habilidade de se comunicar e dos hábitos pessoais de outra pessoa, assegure-se de que pode viver com estes como são agora.

No livro de Provérbios (4:26), há esse importantíssimo conselho aos jovens: “Pondera a vereda de teus pés, e todos os teus caminhos sejam bem ordenados!”. A exortação é para se examinar bem os caminhos dos pés, ou seja, avaliar bem as decisões a serem tomadas quanto ao futuro. Numa avaliação honesta, em que se medem as consequências, há possibilidade muito maior de ter um futuro bem ordenado, tranquilo e de paz.

2 – Você escolhe a pessoa errada quando, no noivado, você se preocupa mais com a química do que com o caráter

A química acende o fogo, mas o bom caráter o mantém aceso. Esteja consciente da síndrome do ‘estar apaixonado’. Estar apaixonado frequentemente significa sentir atração física. A atração está lá, mas você averiguou cuidadosamente o caráter dessa pessoa?

Aqui estão quatro traços de personalidade para serem definitivamente testados:

Humildade: Esta pessoa acredita que fazer a coisa certa é mais importante que o conforto pessoal? Ela ou ele é capaz de reconhecer seus erros? Tem princípios a ponto de saber pedir perdão? Você já observou mudanças reais e duradouras nessa pessoa?

Bondade: Esta pessoa se preocupa com a felicidade dos outros? Como ela trata as pessoas com as quais não tem de ser agradável? Ela faz algum trabalho voluntário?

Responsabilidade: Posso confiar que esta pessoa fará aquilo que diz que fará? Ela tem palavra? Ela é confiável de maneira que possa seguir o que Jesus ensinou em Mateus 5:37 (“Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; Não, não; porque o que passa disto é de procedência maligna”).

Espiritualidade: Pergunte-se: Eu desejo ser como esta pessoa é em seu relacionamento com Deus? Quero ter um filho com esta pessoa? Gostaria que meu filho fosse espiritual como ela é?

3 – Você escolhe a pessoa errada quando vocês não partilham metas de vida em comum.

Assegure-se de que você compartilha o profundo nível de conexão que os objetivos de vida em comum proporcionam. Após o casamento, os dois crescerão juntos ou crescerão separados. Crescer separado provoca um viver distante. Vidas distantes, inevitavelmente, acabam entrando em colisão, e depois em separação. Para evitar crescer separado, você deve entender para que está vivendo enquanto é solteiro. Você precisa descobrir quais são suas metas, seus sonhos, sua filosofia de vida, seu propósito de existência. E, então, encontrar alguém que tenha chegado à mesma conclusão que você.

O grande profeta Amós fez uma pergunta de retórica quando indagou: “Porventura andarão dois juntos, se não estiverem de acordo?” A resposta é: obviamente não.

Andar juntos é partilhar dos mesmos sonhos. Esta é a verdadeira definição de alma gêmea. Uma alma gêmea tem o mesmo objetivo: duas pessoas que em última instância compartilham o mesmo entendimento ou propósito de vida, e, portanto, possuem as mesmas prioridades, valores e objetivos.

4 – Você escolhe a pessoa errada quando se envolve sexualmente.

O envolvimento sexual antes do compromisso de casamento pode ser um grande problema, porque muitas vezes impede uma completa exploração honesta de aspectos importantes do relacionamento. O envolvimento sexual antes do casamento tende a nublar a mente da pessoa. E uma mente nublada não está completamente lúcida e apta a tomar decisões sábias.

Há um texto bíblico, em 1 Tessalonicenses 4:1 a 4, que revela um conselho celestial sobre o valor de respeitar esse princípio: “Finalmente, irmãos, vos rogamos e exortamos no Senhor Jesus que, como aprendestes de nós de que maneira deveis andar e agradar a Deus, assim como estais fazendo, nisso mesmo abundeis cada vez mais. Pois vós sabeis que preceitos vos temos dado pelo Senhor Jesus.Porque esta é a vontade de Deus, a saber, a vossa santificação: que vos abstenhais da prostituição (de qualquer forma de conduta que viole os princípios divinos), que cada um de vós saiba possuir o seu corpo em santidade e honra”.

Assim, não é necessário fazer um test-drive para descobrir se um casal é sexualmente compatível. Se vocês se amam, têm propósitos compatíveis e compartilham da mesma fé, não precisam se preocupar sobre compatibilidade sexual.

De todos os estudos feitos sobre o divórcio, a incompatibilidade sexual jamais foi citada como o principal motivo para as pessoas se divorciarem. Com a pesquisa, eles apenas descobriram o que a Bíblia já dizia há milênios. A Bíblia tem razão, sempre!

5 – Você escolhe a pessoa errada quando persiste em casar-se com quem você não se sente emocionalmente seguro ao lado dela.

Faça a si mesmo as seguintes perguntas: Sinto-me calmo, relaxado e em paz com esta pessoa? Posso ser inteiramente eu mesmo com ela? Esta pessoa faz-me sentir bem comigo mesmo? (você tem um amigo realmente íntimo que o faz sentir assim? Assegure-se que a pessoa com quem vai se casar faz você sentir-se da mesma forma!).

De alguma maneira, você tem medo desta pessoa?

A pessoa com quem você vai dividir sua vida não deve fazer você sentir-se em estado de alerta, como se você tivesse que monitorar suas palavras, reações e opiniões. Você não pode ter medo da reação da outra pessoa.  Se você tem receio de expressar abertamente seus sentimentos e opiniões, então há um problema com o relacionamento.

Um outro aspecto de sentir-se seguro é que você não sente que a outra pessoa está tentando controlá-lo. Controlar comportamentos é sinal de uma pessoa abusiva. Esteja atento para alguém que está sempre tentando modificá-lo. Há uma grande diferença entre controlar e fazer sugestões. Uma sugestão é feita para seu benefício; uma declaração de controle é feita para o benefício de outra pessoa.

Tudo aquilo que o aborrece no relacionamento deve ser trazido à baila para uma boa conversa, franca e amigável. Falar sobre aquilo que incomoda é a única forma de avaliar o quão positivamente vocês se comunicam, negociam e trabalham juntos. No decorrer de toda a vida, as dificuldades inevitavelmente surgirão. Você precisa saber agora, antes de assumir um compromisso: Vocês conseguem resolver suas diferenças e fazer concessões que sejam boas para ambas as partes?

Nunca tenha receio de deixar a pessoa saber aquilo que o incomoda. Esta é também uma maneira para você testar o quanto pode ficar vulnerável perante esta pessoa. Se você não pode ser vulnerável, então não pode ser íntimo. Se não podem ser íntimos, não podem caminhar juntos.

6 – Você escolhe a pessoa errada quando ele/ela está envolvido em um triângulo humano.

Estar triangulado significa que a pessoa é emocionalmente dependente de alguém ou de algo, ao mesmo tempo em que tenta desenvolver um relacionamento com você. Uma pessoa que não se separou de seus pais é o exemplo clássico de triangulação. As pessoas também podem estar trianguladas com objetos, tais como o trabalho, drogas, a internet, passatempos, esportes ou dinheiro. Ou mesmo pode ainda estar envolvida com outra pessoa.

Assegure-se de que você e seu parceiro estejam livres de triângulos humanos. A pessoa apanhada em um triângulo assim não pode estar emocionalmente disponível por completo para você. Você não será a prioridade número um. E isso não é base para um casamento. O único triângulo imprescindível para o casal é a presença abençoadora de Deus, como estabelece Eclesiastes 4:9 a 12.

Melhor é serem dois do que um…Porque se um cair, o outro levanta o seu companheiro; mas ai do que estiver só; pois, caindo, não haverá outro que o levante. Também, se dois dormirem juntos, eles se aquentarão; mas um só, como se aquentará?E, se alguém prevalecer contra um, os dois lhe resistirão;e o cordão de três dobras não se quebra com facilidade

A terceira dobra do cordão deve ser a presença de Deus. É Ele quem forma o verdadeiro triângulo da vida do casal, pois Sua presença abençoadora, Seus princípios sustentadores e Seu amor poderoso são a base e as colunas de uma vida conjugal plena, frutífera e perpétua.

No início, questionamos o valor de falar sobre essas dicas, uma vez que poucas pessoas atentam para elas. Mesmo assim, creio que vale a pena insistir. Uma palavra de prudência sempre fará algum bom efeito para os que quiserem ouvir.

Portanto, confie em Deus para tomar a importante decisão de casar, medite nessas dicas valiosas, tenha então a coragem de escolher a pessoa certa, esperando que seu amado ou sua amada tenha tido também a mesma sabedoria e cuidado ao escolher você!

Fonte: O Povo

Leave a Reply