Rock in Rio terá capelas para realizar casamentos.

outubro 16th, 2014

rock-in-rio-tera-capelas-para-realizar-casamentos

 

O empresário e um dos responsáveis pela idealização e produção do Rock in Rio, Roberto Medina, aparentemente ficou feliz com a ideia de promover casamentos durante o evento realizado no Brasil.  Segundo informações publicadas neste final de semana, o empresário decidiu montar capelas nas cidades do rock de Las Vesgas e do Rio, que será realizado em Setembro do próximo ano.  A ideia do empresário é realizar cinco casamentos por dia, entre pessoas inclusive do mesmo sexo. Com a seleção dos casais

Destination Wedding: dicas e regras de etiqueta para quem vai casar no exterior.

outubro 14th, 2014

 

destination-wedding-dicas-e-regras-de-etiquetas-para-quem-vai-casar-no-exterior

Os noivos devem pagar passagens e hospedagens dos convidados? Além do convite formal, é importante enviar o Save the Date? Respondemos essas e outras questões que afligem os casais que escolhem “dizer sim” fora do país.
Moda entre casais europeus, a tendência do Destination Wedding, ou o casamento no exterior, vem conquistando cada vez mais os brasileiros. Os cenários escolhidos para trocar as alianças surpreendem os convidados: vão de ilhas paradisíacas na Europa a cruzeiros pelo Atlântico. Mas organizar uma festa fora do país não é uma tarefa tão simples. Além de escolher o destino e o valor que poderá gastar, a noivinha precisa se planejar e resolver todos os pequenos detalhes. Será que, neste caso, contratar uma agência especializada em é uma boa solução? Ou é mais vantajosos fechar pacotes com fornecedores separados? Para responder essas e outras perguntas, conversamos com três experts no assunto: Fernanda Suplicy, proprietária do site Yes Wedding; e a dupla Vanda Mazza e Ana Paula Villela, docentes do curso ‘Casamento: Do Planejamento à Celebração em Grande Estilo’, do Senac. Reunimos abaixo questões comuns envolvendo convidados e gastos. Você verá que é possível contornar situações delicadas sem ficar preocupada ou estourar o orçamento da festa. Confira!

Os noivos decidiram casar no exterior. E agora, qual é o primeiro passo? Quanto tempo antes deve começar com preparativos?

O primeiro passo é contratar um organizador de casamento local e começar a conhecer os fornecedores. O tempo de antecedência deve ser igual a média dos casamentos realizados no Brasil, 12 meses.

Os noivos devem pagar passagens e hospedagens dos padrinhos e damas? E dos pais e irmãos? Quem paga a despesa dos convidados?

Não existe uma regra. Neste caso, o que vale é o bom senso. Vamos supor que você tem um amigo muito querido que você ama de paixão e faz questão que ele seja seu padrinho, mas sabe também que ele não está muito bem financeiramente. O que fazer? O ideal seria ou convidá-lo com as despesas básicas pagas ou deixá-lo a à vontade para dizer não. Explique com todo o carinho que você gostaria muito que ele fosse, mas que sabe que é difícil e que entende se ele não puder ir (e de fato não ficar chateado com a não ida dele). Tudo depende do “bolso” de cada um. É o máximo poder convidar ou ser convidado com passagem e hotel, mas não é qualquer um poder bancar a história e não é uma obrigação.

Não é necessário, porém precisam ter consciência que um padrinho ou madrinha podem recusar o convite devido aos gastos. Ficaria de bom tom, os noivos arcarem com essas despesas.

Como os noivos devem escolher os convidados?

Essa é uma questão muito pessoal e fazer lista de casamento não é tarefa fácil. O melhor caminho é ir pelo coração e afinidade, sabendo que sempre terão alguns convidados que não são os mais amados, mas muito importantes na história ou família e não podem ficar de fora.

Os noivos devem convidar para o casamento todas as pessoas que já os convidaram para os seus respectivos?

Depende do tamanho do seu casamento. Se é um casamento enorme e que vai ter uma lista extensa: sim, é educado (apesar se não ser uma obrigação). Agora, se for um casamento pequeno no qual a sua lista foi feita “contadinha”, eles terão que entender que não tem como. Uns entendem, outros não, mas os noivos terão que priorizar os mais próximos e não quem já os convidou, não é mesmo?

Os noivos precisam se justificar com os colegas que não foram convidados para o destination wedding?

Não faz sentindo sair se justificando. Mas, se tem algumas pessoas que os noivos sentem enorme carinho, realmente queriam que tivessem tido a possibilidade de convidar e não puderam, porque não dizer isso a eles? Todo mundo gosta de saber que é querido! O ideal é dizer depois que o casamento aconteceu (porque antes só vai deixar a pessoa com vontade de ir à festa sem ter sido convidada) o quanto sentiu a falta dela lá e uma pena ter que cortar pessoas queridas por ter sido uma festa pequena. Seja gentil! Seu colega irá entender a sua posição.

Os noivos decidiram casar em um resort, numa praia. Isso significa que os convidados vão precisar se hospedar lá? Eles podem fazer essa exigência?

Não, os noivos não devem fazer essa exigência. Ficará hospedado quem puder.

No caso de Destination Wedding, o que os noivos devem informar no convite formal?

Devem informar data, horário, local e traje.

É importante também enviar o Save the Date?

É ultra importante enviar o Save the Date no mínimo com 6 meses de antecedência. Lembre-se que os convidados precisam se programar para fazer uma viagem. Quanto mais informações e orientações os noivos passarem, melhor e mais prático será para todos. É de praxe indicar onde ficar e inclusive verificar se a região consegue atender o número de pessoas que os noivos convidaram. Todos os detalhes precisam ser programados com antecedência para evitar estresse.

É preciso orientar os convidados sobre hotéis e passagens?

Com certeza. O ideal é que os noivos façam visitas a hotéis e pousadas próximo ao local escolhido para o evento e negociem pacotes de hospedagem para os seus convidados.

Como deve ser feito o contrato com fotógrafo e equipe de filmagem? E cabeleireiro e make? Os noivos devem levar esses profissionais?

Não necessariamente, eles podem contratar do local. Se a noiva fizer muita questão de fechar o serviço com algum profissional brasileiro, por exemplo o cabeleireiro, ela poderá levá-lo. Neste caso, o profissional terá que ter tudo pago, desde a alimentação até a hospedagem. Ou seja, fica muito caro.

O que é mais vantajoso: escolher uma agência que cuide de todos os preparativos ou contratar fornecedores separados?

Depende. Se a busca é praticidade, contratar alguém que cuide de tudo é muito vantajoso. Se os noivos são detalhistas, o ideal é fechar contratos com fornecedores separados.

Quem realiza a cerimônia?

Um cerimonialista local ou alguém da confiança dos noivos.

Os noivos devem se preocupar com o cartório?

Sim. É aconselhável que se casem antes aqui no Brasil no cartório e só realizem a cerimônia simbólica no exterior.

A festa deve ser realizada no mesmo lugar da cerimônia?

Isso facilita bastante, principalmente pensando que todos estarão fora de suas cidades e a logística é mais complicada. Caso tenha mudança de local, é legal que os noivos providenciem a locomoção ou avisem com antecedência que é preciso alugar carro ou algo parecido para que não haja surpresas desagradáveis.

Qual é a melhor maneira de levar o vestido de noiva na mala de viagem?

A estilista Dani Messih sugere que a noivas levem o vestido dobradinho em uma caixa, que pode também ser colocada dentro de uma mala. Tome cuidado com as estruturas e use papel de seda entre as dobras. Para não correr risco, leve-o na mala de mão.

Casamento, uma viagem de amor autêntico na vida.

outubro 9th, 2014

 

 

casamento-uma-viajem-de-amor-autentico-na-vida

O luxuoso hotel W South Beach, de Miami, lança pacote extravagante para uma celebração super romântica. Na tarde dessa terça-feira, (7), o Sínodo tratou do tema “A pastoral da família: as várias propostas” (II parte, Cap.1), com a apresentação do Presidente delegado de turno, cardeal Luis Antonio Tagle, arcebispo de Manila (Filipinas), que introduziu o testemunho do casal Jeffrey Heinze, diretor de Natural Family Planning na diocese de La Crosse (Estados Unidos) e Alice Heinzen, membro de Natural Family Planning Advisory Board da Conferência Episcopal (Estados Unidos), presentes no Sínodo como auditores. Eis o que disserem diante da Assembleia: Meu marido e eu nos colocamos aquela pergunta: “Como fizeram nossos pais para viver como um casal que nos levou até onde estamos hoje como católicos casados e cheios de fé?”. Na nossa reflexão compreendemos que o testemunho dos nossos pais revelava em suas ações cotidianas o projeto divino para o matrimônio e a vida familiar. Tenho lindas histórias de participações em procissões de Corpus Christi no nosso bairro e do meu pai que saía todos os dias para ir à Missa perto de casa, antes do trabalho. No mês de maio, lembro que a nossa família rezava o Terço. Lembro os tantos beijos carinhosos que os meus pais trocavam. Nos ajoelhávamos perto da nossa cama para rezar pedindo a proteção e a bênção à nossa família. Todo domingo íamos à Missa em família, depois saíamos da Igreja e visitávamos os nossos parentes. Em tudo podemos acrescentar que as nossas mães nos lembravam de amar sempre os nossos irmãos, de usar com os outros os nossos melhores modos e de guardar as moedas para ajudar aos menos favorecidos. As nossas casas eram escolas de amor e de virtude, e os nossos pais eram nossos primeiros educadores. Os nossos pais deram testemunho fiel de alegria e de beleza do projeto de Deus para o amor e a vida. Infelizmente, não somente na nossa avaliação da cultura atual, mas também por causa da nossa experiência pastoral, sabemos que muitos jovens não veem o testemunho de amor conjugal que nós experimentamos. Tantos jovens crescem em famílias quebradas pelo divórcio, ou sem uma experiência de pais casados por causa de gravidez fora do casamento. Ambos estamos, como afirmaram alguns cientistas, na era da estrutura familiar enfraquecida. É mais do que uma crise. Citando São João Paulo II, o papel dos pais como educadores é tão decisivo que não tem nada que possa compensar seu fracasso neste campo. A pesquisa sociológica testemunha este problema e as informações no Instrumentum Laboris confirmam. As crianças criadas sem a bênção dos pais casados que criam uma família animada de amor e fé, provavelmente deverão lutar para ter confiança em Deus e no próximo.

Como motivar casamentos que durem toda a vida?

A nossa diocese nos Estados Unidos não é diferente daquelas de todo o mundo. Vimos o número de casamentos diminuir a cada ano e a taxa de convivência aumentar. Vimos uma queda do número de batismos. Vimos os nossos jovens caírem em confusão por uma cultura hedonista. Conhecemos inúmeros adultos divorciados que se uniram a outras comunidades de fé porque não se sentem acolhidos na Igreja Católica. Os nossos corações sofrem pelas mães solteiras que lutam para tomar conta dos próprios filhos. Como vocês, buscamos encontrar meios simples e eficazes para compartilhar melhor as bênçãos do projeto de Deus para o matrimônio e a família.

O Instrumentum documenta programas pastorais que buscam enfrentar as questões relativas ao matrimônio e a vida familiar. Infelizmente, estes esforços não atendem às dimensões dos desafios culturais que devemos enfrentar hoje. Devemos desenvolver métodos mais sólidos e criativos para compartilhar a verdade fundamental pela qual o matrimônio é um dom de Deus, mais que uma simples instituição criada pelo homem. Isso exigirá, por parte nossa, o fato de examinar os métodos com os quais ensinamos aos nossos filhos a natureza da sexualidade humana e a vocação ao matrimônio. Quando falamos do chamado de Deus a servir, o matrimônio deveria ser incluso em todos os programas vocacionais, e devemos nos perguntar qual assistência damos a nível pós-matrimônio, para ajudar os casais a aprofundarem a própria relação. Portanto, vejamos a questão que está diante não como uma crise de verdade, mas como uma crise de metodologia.

Como fazemos nós como Igreja para compartilhar de maneira eficaz aquilo que sabemos que é verdade de forma prática, simples e convincente de modo que todos os homens e todas as mulheres sejam desafiados e sustentados a viverem casamentos que duram toda a vida e a construir famílias que refletem a Igreja doméstica?

Em toda a nossa programação pastoral devemos lembrar que “nada é impossível a Deus” (Lc 1,37). É possível encontrar soluções para a crise que foi identificada. Este Sínodo tem a capacidade de ajudar maridos, mulheres e suas famílias. Abramos a nossa mente e o nosso coração ao Espírito Santo para que possa cumprir a vontade de Deus.

 

Estresse pré-casamento: saiba como aliviar a tensão.

outubro 7th, 2014

 

estresse-pre-casamento-saiba-como-aliviar-a-tensão

Sim, eu aceito! Depois de dizer o “sim” começa os preparativos para o casamento.  A noiva é a que mais sofre com os preparativos, ela tem que decidir até a escolha dos convites, Buffet, arranjos de flores, músicas, quem serão os padrinhos e madrinhas, vestido, decoração, entre outros detalhes que só a mulher consegue resolver. Durante os preparativos, a noiva pode ter uma tensão maior que pode causar os famosos ataques de egoísmo, raiva, frustração por conta do estresse. Estudos apontam que a maioria das noivas nunca admitem que estão com um nível de stress elevado. Segundo a Terapeuta e Coach Erica Aidar, as noivas não podem se esquecer de relaxar. “Apesar de o casamento ser um dia muito importante na vida da mulher ela precisa delegar funções para não ficar estressada e causar desentendimentos entre os familiares, amigos e até com o próprio noivo”, afirma. É importante também aprender a controlar a ansiedade e o estresse. “Procure descansar, alimente-se corretamente, evite fazer dietas restritas para perder peso rapidamente, faça exercícios físicos e tenha uma boa noite de sono. Não adianta cuidar apenas do visual e do corpo se o seus sentimentos e emoções não estão sendo controlados”, ressalta a terapeuta. Confira as dicas para não ser uma noiva egoísta e se livrar do stress:

Faça um cronograma
Anote todas as tarefas do seu casamento. Montar um a cronograma pode ajudar a organizar e evitar tomar decisões de última hora.

Não coloque a culpa no noivo
Combine com o seu noivo se ele ficará responsável por alguma tarefa, caso ele peça para você resolver tudo sobre o casamento não vale cobrar o seu noivo. Seja compreensiva e lembre-se que ele deve ser seu parceiro.

Aceite ajuda
Se ficar na dúvida sobre vestido, decoração, Buffet, peça ajuda da sua mãe, madrinhas, amigas, tias, primas e não nervosa à toa.

Considere as opções
Se aquele arranjo que você sonhava não tem? Não fique estressada e procure aceitar as sugestões dos profissionais.

Trate bem as pessoas
Não seja agressiva, procure tratar bem as pessoas que estão ajudando no seu casamento.
Se você achar que está ficando estressada demais, colocando a culpa no trabalho, família, amigos e no relacionamento. Tire um dia só para você relaxar e pensar nas suas atitudes.

Em nova mania, noivas e madrinhas posam com bumbum à mostra.

outubro 1st, 2014

em-nova-mania-noivas-e-madrinhas-posam-com-bumbum-a-mostra-01

Fotos de casamento ganharam destaque nas redes sociais. Algumas noivas e madrinhas posaram deixando à mostra quase tudo.
Em nova moda na internet, noivas e madrinhas têm posado para fotos levantando seus vestidos e deixando à mostra o bumbum, segundo o jornal inglês Daily Mirror. Algumas das fotos são comportadas enquanto outras deixam à mostra quase tudo.

em-nova-mania-noivas-e-madrinhas-posam-com-bumbum-a-mostra-02

Acessórios que fazem a cabeça das noivas de qualquer estilo.

setembro 26th, 2014

 

acessorios-que-fazem-a-cabeça-das-noivas-de-qualquer-estilo-01

As noivas estão cada vez mais inovadoras sem jamais perder o romantismo. Nem todas usam vestido branco e muito menos longo. Muitas, inclusive, primam pela simplicidade escolhendo um modelo bem básico e usando apenas um acessório de cabeça, sem véu ou grinalda. As tiaras, por exemplo, são excelentes opções para quem quer ficar linda tanto com cabelos soltos ou com um belo penteado em qualquer estilo, desde as mais conservadoras até as moderninhas. O modelo da foto acima, por exemplo, é uma tiara que foi usada para finalizar o coque. Confira algumas dicas podem ajudar na hora de completar o visual com tiara!

acessorios-que-fazem-a-cabeça-das-noivas-de-qualquer-estilo-02
– Evite acessório com muito brilho se o casamento for de dia, prefira flores, pérolas ou modelos com base artesanal;
– Quanto maior a tiara, menor deve ser o brinco para não poluir o rosto e tirar a delicadeza que toda noiva deve ter;
– Noivas de cabelos soltos e longos podem exagerar no tamanho da tiara, especialmente quando o vestido é mais discreto. O mesmo vale para quem tem cabelo curto ou vai usar preso.
– Se o vestido tiver muitos detalhes como um corte diferenciado, mais de um tecido, bordados e outros detalhes, a tiara deve ser mais discreta ou, no máximo, combinar com o vestido como se fosse par, mas cuidado com os exageros que podem tirar o romantismo e apagar a beleza da noiva.

acessorios-que-fazem-a-cabeça-das-noivas-de-qualquer-estilo-03

 

Vestidos metalizados estão em alta para noivas; veja modelos e inspire-se.

setembro 24th, 2014

A tendência das peças de roupa metalizadas, que marcou a temporada Verão 2014, chegou aos vestidos de noiva. Na mais recente semana de alta-costura de Paris, estilistas renomados como Elie Saab e Zuhair Murab incorporaram a tendência aos trajes nupciais e mostraram que nem só de branco se veste uma mulher elegante para o seu grande dia. “Cada vez mais sinto a preferência das noivas pelos metalizados. O efeito pode enriquecer a roupa sem perder a delicadeza que essa peça precisa ter”, afirma a estilista Carol Hungria, que mantém seu ateliê no Rio de Janeiro. O estilista Marcelo Quadros, de São Paulo, faz uma observação: “Um vestido com tecido metalizado foge da proposta que a maioria das noivas brasileiras gosta. Porém, a alternativa de brilho por meio dos bordados vai superbem”, diz. Para ele, pedrarias formam uma textura que reluz de modo suave. “O brilho prata, por exemplo, fica lindo quando aplicamos cristais como os Swarovski”, afirma. Aplicações de rendas, em tom de prata ou dourado, também resultam nesse efeito.

vestidos-metalizados-para-noivas-veja-modelos-e-inspire-se-01
Vestido e cerimônia
Há quem acredite que brilho só deve ser usado à noite. Para os estilistas entrevistados, a melhor dica para não errar esse quesito é usar os metalizados nas festas realizadas após o pôr do sol. “Durante o dia, qualquer visual com muito brilhante pode pesar paracer exagerado. Mas, para casamentos realizados no fim de tarde, quando a luz já está mais baixa, a escolha é perfeita”, explica Carol.  O estilo da cerimônia e da festa também influenciam. “Normalmente, uma noiva que escolhe um tecido com brilho imagina uma comemoração suntuosa, provavelmente com detalhes em prata ou dourado também na decoração. Tudo deve estar em sintonia”, diz a estilista.

vestidos-metalizados-para-noivas-veja-modelos-e-inspire-se-02

Para todos os estilos
Para as que querem inserir a tendência no vestido, mas temem chamar muita atenção, o melhor é optar pelo metalizado em um único detalhe da peça. Por exemplo, na faixa da cintura. Também vale espalhar bordados e pedras pelo vestido, no corpo e na saia, de modo a criar pontos de luz no look. “Se escolher apenas uma área do vestido para aplicar o metalizado, recomendo que seja da cintura para cima, que é a parte do corpo da noiva que mais aparece nas fotos”, diz Marcelo.

Homossexuais celebram união em 1º casamento coletivo gay do Norte.

setembro 18th, 2014

homossexuais-celebram-união-em-primeiro-casamento-gay-do-norte

O que era para ser apenas mais um dia no calendário se tornou uma data especial na história de 14 casais em Manaus. Nesta terça-feira (16), homens e mulheres homossexuais puderam oficializar suas respectivas uniões no primeiro casamento coletivo homoafetivo da região Norte e quarto do Brasil. No auditório da sede da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Amazonas (OAB), na Zona Centro-Sul de Manaus, o clima era de emoção. Entre lágrimas e olhares, casais que já viviam juntos há anos – alguns, até décadas – comemoraram bastante. Sem conter o choro, o personal trainer Sidcley do Valle, de 39 anos, não escondeu a felicidade por finalmente ter seu relacionamento com o administrador José Simões, 37, reconhecido. “É um grande passo para tentarmos quebrar o preconceito que ainda existe. Temos o direito de estar juntos como qualquer pessoa”, disse o personal trainer, que está com José há 12 anos. “Temos uma união estável de seis anos e a sorte de poder andar de mãos dadas, por exemplo. No futuro, queremos adotar uma criança”, revelou.

homossexuais-celebram-união-em-primeiro-casamento-gay-do-norte-02
Se a adoção é um plano para os próximos anos na vida de Sidcley e José, para o casal formado pela motorista Marta Queiroz, 45, e pela manipuladora de alimentos Marinete Ferreira, 36, isso já é uma realidade. Juntas há um ano e meio, elas contaram com a torcida da pequena Letícia, de sete anos. Em processo de adoção da menina, o casal aproveitou a chance de oficializar o relacionamento. “É a realização de um sonho. Manaus está reagindo bem [a essa decisão], mas sabemos que nunca vai ser 100%. Por isso, nos comportamos como um casal em público, mas sempre respeitando o espaço do outro”, ponderou Marta, antes de dar um beijo na noiva. ‘Respeito, acima de tudo’ Há quatro anos, a advogada Neila Dantas, hoje com 50, viu uma mensagem curiosa em uma rede social. Era a técnica de enfermagem Mara Silva, 36, pedindo seu número de telefone. Um mês depois, as duas começaram a conversar e agora têm a chance de celebrar o relacionamento trocando alianças perante a um juiz de paz – no caso, a advogada Simone Minelli. “Eu costumo dizer que a única diferença é que estou me relacionando com uma pessoa do mesmo sexo. Passamos pelas mesmas dificuldades que um casal heterossexual. Por isso, digo que esse evento tem a função de abrir os olhos da sociedade. Me sinto muito vitoriosa”, resumiu Neila. Agora, as duas contam com o apoio de amigos e familiares, como o filho de Mara, de 18 anos. “Nosso rol de amizade tem pessoas maravilhosas que nos aceitam como somos. Não vivo de hipocrisia e nem tento esconder esse relacionamento. É importante termos respeito, acima de tudo”, frisou a advogada, que chegou a ser noiva de um homem anos antes de conhecer Mara. “Me faltava o companheirismo. Ela chegou na hora certa”, disse, orgulhosa.

homossexuais-celebram-união-em-primeiro-casamento-gay-do-norte-03

Se a adoção é um plano para os próximos anos na vida de Sidcley e José, para o casal formado pela motorista Marta Queiroz, 45, e pela manipuladora de alimentos Marinete Ferreira, 36, isso já é uma realidade. Juntas há um ano e meio, elas contaram com a torcida da pequena Letícia, de sete anos. Em processo de adoção da menina, o casal aproveitou a chance de oficializar o relacionamento. “É a realização de um sonho. Manaus está reagindo bem [a essa decisão], mas sabemos que nunca vai ser 100%. Por isso, nos comportamos como um casal em público, mas sempre respeitando o espaço do outro”, ponderou Marta, antes de dar um beijo na noiva.

Para dizer o “sim” dos sonhos, eles saíram da cidade e casaram na praia.

setembro 12th, 2014

 

para-dizer-o-sim-dos-sonhos-eles-sairam-daqui-e-casaram-na-praia-01

O casamento em igreja e a festa num buffet, seguindo o protocolo não era exatamente o que Rebecca e Marcelo Silvestrin tinham sonhado para o grande dia. Moradores de Campo Grande, em cinco anos de namoro e um de noivado, o desejo sempre foi de casar ao ar livre, de uma forma que traduzisse exatamente quem eles são. Quando os planos aqui começaram a ser traçados, a noiva se viu na dúvida. “No dia que a gente ia reservar o buffet, fechar o contrato, eu e o Marcelo conversamos e eu disse a ele que não era exatamente aquilo que eu queria e ele respondeu: ‘nem eu e se a gente casasse na praia? Na hora abri a internet e comecei a pesquisar sobre isso e eureca! Era tudo o que eu queria”, descreve. O grande dia foi 14 de novembro de 2011, há três anos eles gastaram, casando em uma praia de Ubatuba, litoral de São Paulo, metade do valor total de uma festa aqui, uma média de R$ 25 mil. Foram convidadas 100 pessoas entre família e amigos, mas só metade deles pode comparecer, pela logística que o casamento fora impunha.

para-dizer-o-sim-dos-sonhos-eles-sairam-daqui-e-casaram-na-praia-02
Rebecca de Arruda Silvestrin, hoje com 24 anos, é jornalista. Curiosa por natureza, ela acompanhava blogs, lia tudo o que encontrava a respeito e daqui, contratou a empresa de cerimonial de São Paulo, que prestou toda a assessoria. “Pesquisando achamos uma empresa que fazia quase tudo, cerimonial e buffet em uma praia reservadinha. Aí decidimos por Ubatuba”, narra. Depois da escolha do mar e da areia como decoração, foram quatro meses de preparativos. Neste meio tempo, o casal foi até a praia conhecer tudo de pertinho e fechar os últimos detalhes. “Fiz tudo sozinha, a internet e o telefone foram meus grandes aliados”, detalha. Nos três meses que antecederam o casamento, eles já estavam entregando os convites, até para preparar os convidados. Da Capital saíram os noivos, os familiares e alguns amigos, que fechavam o número de 56 pessoas, o vestido dela e os fotógrafos. “Por conta de gasto e trabalho, nem todos conseguiram ir, essa é uma parte chata, porque temos que abrir mão de muitas pessoas queridas que não estiveram conosco”, pontua. As famílias do noivo e da noiva dividiram o aluguel de uma casa, já para os amigos, o casal selecionou pousadas e hotéis próximos e que tivessem um preço mais em conta. “Fomos para São Paulo cinco dias antes do casamento e ficamos entre quatro famílias, as nossas e mais duas muito amigas. Foram dias de festa, churrasco, praia, curtimos cada momento”, recorda.

para-dizer-o-sim-dos-sonhos-eles-sairam-daqui-e-casaram-na-praia-03

O casal nunca tinha ido a um casamento na praia. A imagem da cerimônia pé na areia e com a benção sob a luz do pôr-do-sol estava só no imaginário. Ele entrou de chapéu, usando chinelos. Ela, de vestido de noiva e rasteirinha nos pés. “Todo mundo acha que gastamos muito, mas foi tudo muito mais em conta e do jeito que a gente queria”, comenta Rebecca. O casamento civil já tinha sido feito no Estado, antes deles embarcarem para a cerimônia religiosa. O pastor que celebrou os votos era só conhecido pela troca de e-mails e ligações e ainda assim fez do momento único na vida dos dois. “Foi tudo muito tranquilo, a cerimônia foi uns 40 minutinhos e muito gostoso. Casamos às 17h, pegamos o pôr-do-sol”. As dificuldades do antes foram os fornecedores e se tudo daria certo. No dia, o medo era da chuva que até chegou a dar às caras, mas só para refrescar. “Amanheceu chovendo uma tempestade, mas quatro horas antes parou e abriu o sol. Casamos, fizemos as fotos na praia e cinco minutos depois a chuva caiu, mas aí já estávamos na tenda, curtindo a festa. As cadeiras foram postas direto na areia, o altar de frente para o mar. Para a recepção foi montada toda uma estrutura de tendas. “Eu e o Marcelo somos pessoas muito simples e isso tudo traduz no jeito que gostamos das coisas, como nos vestimos e com o casamento, não podia ser diferente”, resume Rebecca. Um casamento na praia é exatamente como as fotos traduzem, leve, com uma paisagem natural, que decorador nenhum faria igual. “Se torna algo que todo mundo curte, aproveitei tudo e de uma maneira confortável, foi a melhor escolha da nossa vida”. O Lado B apurou e entre os principais cerimoniais de Campo Grande, o desejo de casar como Rebecca e Marcelo parece não ter sido concretizado por nenhum casal. Estreante no mercado de casamentos, a cerimonialista Karla Lyara indica que uma boa ideia é escolher uma cidade em que os noivos tenham algum amigo ou familiar. No entanto, para os que não têm conhecidos que morem em cidades praianas, uma das alternativas é contratar um espaço a beira da praia, que já ofereça toda a estrutura. “É preciso levar em consideração a data do ano, se o local costuma ventar muito, se a maré sobe demais e se possui banheiro próximo. Como a praia já é ambiente bonito, a decoração vai muito do perfil dos noivos, que podem optar pelo “simples”, sem deixar de ser chique”, avalia Karla. O custo de um casamento na praia depende muito do estilo da festa e pode, ou não, sair mais em conta do que festejar aqui. O cerimonialista Gil Saldanha, conta que até já teve noivas com este sonho, mas que a distância de Campo Grande para o mar, coloca em xeque a logística para o “sim”. “Um casamento assim vai ser uma cerimônia muito intimista ou então, como cruzeiro, onde cada um paga o seu. A grande questão é o trabalho na contratação de fornecedores à distância. Você tem que contratar buffet, serviço, a parte legal, como a licença da prefeitura”, elenca Gil. Uma saída, aponta o cerimonialista, pode estar nas prainhas junto aos rios aqui do Estado mesmo, chácaras ou clubes. Mas um casamento com as ondas do mar de trilha sonora além de românticos, rendem fotos dignas de revista, como as de Rebecca e Marcelo. A felicidade e o amor registrados pela fotógrafa Priscila Mota, são de se apaixonar, olha só:

Aluguel do vestido de noiva tem seus prós e contras; veja quais são.

setembro 10th, 2014

aluguel-do-vestido-de-noiva-tem-seus-pros-e-contras-veja-quais-são

Alugar o vestido de noiva, ao invés de comprá-lo ou optar pela criação de um modelo exclusivo, é uma opção levada em conta por muitas noivas. Mas, apesar de levar vantagem nos quesitos praticidade e economia, esta opção também precisa de algumas atenções especiais para que a peça seja como aquela dos seus sonhos no grande dia.  Existem duas opções: o primeiro aluguel, em que você manda confeccionar o modelo que deseja e o coloca para aluguel de outras noivas em seguida, ou o aluguel comum, em que opta por um vestido que já foi usado por outra pessoa. A segunda sugestão, além de mais barata, é interessante pois você pode experimentar várias peças até decidir qual prefere.
Mesmo que a empresa locadora seja cuidadosa, a noiva não está livre de encontrar manchas, costuras desfeitas, bordados fora do lugar ou demais itens desagradáveis como estes, uma vez que a peça já se divertiu por aí em outras festas. Não deixe de analisar isso antes, ou pode se chatear próximo da data do seu casamento e nem sempre há como reverter o quadro. Com a obrigatoriedade da devolução, é preciso tomar cuidado também para não causar danos à peça, pois não devolver em perfeito estado pode implicar em possíveis multas; que , inclusive, devem estar bem especificadas no contrato do aluguel.